Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2008

QUANDO ME AMEI DE VERDADE...

Quando me amei de verdade

pude compreender que em qualquer circunstância,

eu estava no lugar certo, na hora certa.

Então pude relaxar.


Quando me amei de verdade

pude perceber que o sofrimento emocional

é sinal de que estou indo contra a minha verdade.

 


Quando me amei de verdade

parei de desejar que a minha vida fosse diferente

e comecei a ver que tudo o que acontece

contribui para o meu crescimento.


Quando me amei de verdade

comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma

coisa ou alguém que ainda não está preparado,

inclusive eu mesma.


Quando me amei de verdade

comecei a livrar-me de tudo o que não fosse saudável.

Isso quer dizer: pessoas, tarefas, crenças e

qualquer coisa que me pusesse para baixo.

Minha razão chamou isso de egoísmo.

Mas hoje eu sei que é amor-próprio.


Quando me amei de verdade

deixei de temer meu tempo livre e desisti de fazer planos.

Hoje faço o que acho certo e no meu próprio ritmo.

Como isso é bom!


Quando me amei de verdade

desisti de querer ter sempre razão,

e com isso errei muito menos vezes.

 

Quando me amei de verdade

desisti de ficar revivendo o passado

e de me preocupar com o futuro.

Isso me mantêm no presente, que é onde a vida acontece.

 
Quando me amei de verdade

percebi que a minha mente pode me atormentar e decepcionar.

Mas quando eu a coloco ao serviço do meu coração,

ela se torna uma grande e valiosa aliada.

tags:
publicado por isabelsushi às 14:56
link do post | comente | ver comentários (16)
Terça-feira, 16 de Outubro de 2007

Amor entre as "Metades de uma Alma"

 

...Se o desejo de ser amado for mais forte
e você se prender a alguém com insistência,
ele se aborrecerá
e acabará se afastando de você.
O primeiro estágio do amor é a simpatia.
A simpatia aumenta e se torna apego,
e nesse estágio há sofrimentos e alegrias.
A alegria proveniente do amor-apego
vem sempre acompanhada de angústias e sofrimentos.
A alegria absoluta, que não vem acompanhada
de sofrimentos nem de angústias,
só será obtida quando o seu amor evoluir mais.
Só será obtida quando você abandonar o apego
e deixar o outro totalmente livre.
Quando você soltar o outro,
ele voltará a você espontaneamente,
com amor sincero,
porque ele, originalmente,
é a outra metade da sua alma.

(Mary Sallum)

 

 

tags:
publicado por isabelsushi às 12:57
link do post | comente | ver comentários (18)
Quinta-feira, 23 de Agosto de 2007

O Amor tem os olhos da Loucura.


Tempos atrás, viviam duas crianças, um menino e uma menina,
que tinham entre quatro e cinco anos de idade.

 O menino chamava-se Amor e a menina, Loucura.

 

O Amor sempre foi uma criança calma, doce e compreensiva.

 Já a Loucura era muito emotiva, passional e impulsiva.

 

Entretanto, apesar de todas as diferenças,
as crianças cresciam juntas, inseparáveis:

Brincando, brigando...

 

Houve um dia, porém, em que o Amor

não estava muito bem, e acabou cedendo

às provocações de Loucura, com a qual

teve uma discussão muito feia.

 

Ela não deixava nada por fazer; estava furiosa como nunca
com o Amor, e começou a agredi-lo, não só

verbalmente, como de costume.

 

A menina estava tão descontrolada que agrediu o garoto fisicamente
e, antes que pudesse perceber, arrancou os olhos do Amor.

 

O Amor, sem saber o que fazer, chorando,

foi contar à sua mãe, a deusa Afrodite,

o que havia ocorrido.

 

Inconsolada, Afrodite implorou a Zeus que ajudasse seu filho
e  que castigasse Loucura.

 

Zeus, por sua vez, ordenou que chamassem a garota
para uma séria conversa.

 

Ao ser interrogada, a menina respondeu, como se estivesse com
a razão, que o Amor a havia aborrecido e que foi

merecido tudo o que aconteceu.

 

Embora soubesse que não fora justa com seu amigo,
a menina - que nunca soube se desculpar - concluiu dizendo :

que a culpa havia sido do Amor, e que não estava nem um pouco arrependida.

 

Zeus, perplexo com a aparente frieza daquela criança,
disse que nada poderia fazer para devolver a visão ao Amor,
mas ordenou que Loucura estaria condenada a guiá-lo
por toda a eternidade, estando sempre junto ao Amor
em cada passo que este desse.

 

E até hoje eles caminham juntos.

 

Onde quer que o Amor esteja, com ele estará Loucura,
quase que fundidos numa só essência, tão unidos que

por vezes não se consegue definir onde termina
o Amor e onde começa a Loucura.

 

É também por isso que se costuma dizer que o Amor é cego.

 

A verdade é que: -  o Amor tem os olhos da Loucura.

tags: ,
publicado por isabelsushi às 16:51
link do post | comente | ver comentários (18)

.Novembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Nova página 1

Blogs que visito

Nova página 1

OS MEUS SELOS

Nova página 1

Nomeações

Nova página 1

AWARDS RECEBIDOS

Nova página 1

Presentes recebidos

.Outros Links que visito *sem selo*

.posts recentes

. O DIA DOS TEUS ANOS

. AMOR INCONDICIONAL

. Bom dia, amor

. QUANDO ME AMEI DE VERDADE...

. Amor entre as "Metades de...

. O Amor tem os olhos da Lo...

. RESPOSTA DE UM SÁBIO

. AMA-ME BAIXINHO

. Será Amor?

. O Amor...

.arquivos

. Novembro 2012

. Março 2012

. Abril 2009

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

.mais sobre mim

blogs SAPO